CineMarketing – O Lobo de Wall Street

/ / Noticias

O filme “O Lobo de Wall Street”, estrelado por Leonardo DiCaprio e dirigido por Martin Scorsese em 2013, é baseado nas memórias de Jordan Belfort, uma das mentes mais vendedoras do século XX, responsável por uma das maiores fraudes na bolsa os Estados Unidos. Isso mesmo!

À frente da corretora Stratton Oakmont, Jordan lucrou mais de 40 milhões de dólares vendendo ações de baixo valor de mercado em massa e vendendo logo em seguida, uma manobra que caracteriza crime financeiro nos Estados Unidos, o chamado “Pump and Dumb”.

Se você já assistiu o filme, sabe que muito do dinheiro que ele ganhava, era gasto em festas regadas a drogas e prostitutas. Mas “O Lobo de Wallstreei” não é só sobre como cometer crimes na bolsa e viver a vida adoidado.

Para vender essas ações de baixo valor de mercado, Jordan lançava mão de técnicas infalíveis de Marketing e Vendas.

A história se passa na transição entre o período industrial e o Marketing das Telecomuncações, ou seja, call center a principal ferramenta de vendas das empresas dos anos 90.

Ao realizar vendas com ajuda do seu time de corretores ao telefone, Jordan utiliza técnicas de persuasão e gatilhos mentais para reter a atenção das pessoas do outro lado da linha. Segundo o próprio Jordan, em suas palestras, os primeiros 5 segundos de uma ligação telefone são o que definem se venda será realizada ou não.

Mas o filme não começa com esse sucesso todo. No início, sua equipe falhava constantemente na tentativa de realizar as vendas por telefone, principalmente para CEOs de grandes empresas de investimentos.

Com o tempo, “O Lobo” criou um Sistema infalível de persuasão, a partir de testes e mais testes, até criar uma verdadeira máquina de vender ações baratas e revendê-las, antes que descobrissem o quão não-lucrativas elas eram.

Essa estratégia englobava a criação de uma atmosfera altamente competitiva entre os corretores, fazendo com que eles vendessem cada dia mais ações.

Uma das frases que o personagem dele mais fala no filme para motivar a equipe é “Se você diz, ‘eu posso’ ou ‘eu não posso’, você está certo de qualquer maneira”.

Por falar com motivação, uma das cenas mais emblemáticas de “O Lobo de Wallstreet” é aquele aprende o ritual do Haka. O haka é uma demonstração, de força e unidade, e é tradicionalmente utilizado por tribos indígenas para intimidar o inimigo, antes de uma batalha.

No rugby, o time neozelandês All Blacks encena o ritual do Haka antes das partidas, como forma de motivacionar jogadores e botar medo na equipe adversária! Se você ainda não assistiu o All Blacks fazendo o Haka, vale conferir no Youtube!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *